A Floração das Cerejeiras

Todo ano, depois que o triste céu de inverno desaparece, milhões de japoneses afluem aos parques e jardins dos templos para a hanami, isto é, para apreciar a floração das cerejeiras. Num dia de primavera, quando uma brisa suave sopra as pequenas pétalas brancas e rosa em direção a terra, fica fácil entender por que a paixão dos japoneses por essas efêmeras florações é algo quase espiritual. Em Tóquio, as pessoas que trabalham em escritórios contentam-se com o hanami noturno, que são comemorações regadas a saquê no grande Parque Ueno ou ao longo do fosso que cerca o Palácio Imperial. Mas os puristas e especialistas no assunto, determinados a aproveitar ao máximo essa temporada que tem de uma a duas semanas, vão para o monte Yoshino, no Parque Nacional Yoshino Kumano, nas cercanias de Nara e Kyoto, antigas capitais do Japão. Milhares de cerejeiras brancas seculares cobrem a montanha. Divididas em bosques, chamados Hitome-Sembon (Mil Árvores num Olhar), elas florescem em momentos diferentes de acordo com a altitude, em geral a partir do início de abril. Os caminhos, os templos, a multidão formada basicamente por japoneses, as lojas e casas de chá da agradável cidade de Yoshino prometem uma experiência inesquecível.